Filtros

Social

Vídeos / 26 Outubro 2017

No passado mês de setembro, Cristiano Ronaldo ficou a conhecer a história de Santiago Flores, um menino de 6 anos que tinha o internacional português como ídolo e que desejava conhecê-lo, mas que faleceu no sismo que abalou o México.

Na altura, o craque do Real Madrid enviou uma mensagem à família de Santiago e agora recebeu-os no Santiago Bernabéu. O encontro de Ronaldo com os pais e o irmão de Santigo aconteceu no passado fim de semana. "O meu filho está feliz... onde está, está feliz", afirmou a mãe de Santiago Flores, após conhecer o internacional português.

Cristiano Ronaldo mostrou mais uma vez que é THE BEST também fora de campo!

Imagens / 24 Outubro 2017

A mãe Maria Crider, de 27 anos, partilhou na Internet as fotos do nascimento do seu filho para provar que se pode fazer quimioterapia durante a gravidez. Maria foi diagnosticada com cancro de mama quando estava grávida de 11 semanas do pequeno Logan e prontamente decidiu que faria o tratamento durante a gestação.

"Eu passei por uma mastectomia unilateral, 16 sessões de quimioterapia, 28 sessões de radiação, uma salpingectomia e uma cesariana planeada. Eu ainda tenho um longo caminho até virar esta página da minha vida", contou Maria, que ainda precisa de terminar o tratamento contra a doença.

Com a ajuda da amiga e fotógrafa Bonnie Hussey, esta mãe teve o seu parto registado de forma emocionante. "Desde o momento em que a conheci, ela mostrou a determinação pelo que passaria. Foi uma honra participar deste momento", contou Bonnie.

Quando decidiu que faria o ensaio durante o nascimento, Maria disse que "queria partilhar as fotos para encorajar outras mulheres grávidas que lutam contra o cancro de mama". "Espero que isto incentive essas mães a conversarem com os seus médicos e procurem, juntos, a melhor forma de cuidar do bebé e da mulher. Logan é um entre centenas de bebés que sobreviveram à quimioterapia", concluiu Maria.

Clica aqui para ver tudo...

Vídeos / 19 Outubro 2017

Num campo de futebol em Bogotá, na Colômbia, um homem chamado Cesar Daza desenvolveu uma técnica curiosa para ajudar o amigo cego, José Richard Galego, a "ver" e sentir todas as emoções de um jogo de futebol. Com uma pequena placa que simula o campo de futebol, ele move as suas mãos simulando os jogadores para que José sinta a bola que rola, os jogadores que correm, o árbitro que apita e a claque que canta.

José Richard, é o homem cego, que tem síndrome de Usher, uma doença genética que faz com que ele sofra gradualmente a perda da visão e da audição. Felizmente, ele tem amigos como Cesar.

Vídeos / 18 Outubro 2017

O aluno Rodrigo, da escola do Parque do Carmo, na Zona Leste de São Paulo, no Brasil, foi surpreendido pelos seus colegas num momento de descontração entre eles. O que parecia ser um episódio de bullying, logo transformou-se num emocionante momento de felicidade e respeito pelo próximo.

Rodrigo, que é portador de necessidades especiais, gosta de jogar futebol como guarda-redes, mas como não tinha dinheiro para comprar luvas, usava as da limpeza para defender nos jogos com os seus colegas. Foi então que os amigos do menino se juntaram e decidiram preparar-lhe uma pequena surpresa.

"Bom, daqui uma semana e 2 dias vai chegar o famoso dia das crianças, e na minha sala tem um menino especial, o Rodrigo, ele sempre disse que queria ser goleiro, e ter uma luva igual a do Cássio, e eu meus amigos Lucas , Keven e Yan se reunimos e pensamos em dar algo pra ele nessa data eai compramos uma luva de goleiro ( não a do Cássio) e uma bola de futebol, e demos antecipado pra ele, ele ficou muito feliz, disse que esse foi o melhor presente do mundo pra ele.", publicou no Facebook um amigo do Rodrigo.

Quem também não ficou indiferente à história do menino, foi o guarda-redes brasileiro Cássio, que prometeu oferecer umas luvas suas ao jovem.

Vídeos / 17 Outubro 2017

Nas redes sociais foi partilhado um momento mágico de verdadeira amizade. No duelo entre o Cruz Azul e o América, a contar para a Liga mexicana, um adepto foi filmado a ajudar a narrar um lance de penálti que foi marcado contra a sua própria equipa a um amigo cego, que se encontrava ao seu lado... com a emoção do momento a ser muita!

O Cruz Azul acabaria por perder o encontro por 1-3, ficando nesta última jornada no sétimo lugar da tabela classificativa, com 18 pontos. Já o América conseguiu manter o segundo lugar, com 23 pontos, menos quatro pontos que o líder Monterrey.

Vídeos / 11 Outubro 2017

Um taxista está a receber milhares de elogios após uma atitude heroica que ficou registada em vídeo. Tudo aconteceu quando um pai desesperado entrou no táxi e pediu ao condutor que o levasse para onde estava a decorrer o massacre de Las Vegas. MOTIVO: a filha estava lá e ele tinha de a salvar!

O profissional não pensou duas vezes e arrancou para o local da tragédia. O cliente ainda disse que ia pagar mais pelo serviço, mas o taxista respondeu: "também sou pai, faria isto de borla".

Confere este ato heróico que merece ser partilhado!

Notícias / 10 Outubro 2017

O professor de psicologia, Ben Ryan, nunca pensou que um dia viria a tornar-se engenheiro, mas tudo mudou após o nascimento do seu filho, que teve o seu braço amputado nos primeiros dias de vida.

O filho, Sol Ryan, nasceu com o braço esquerdo torcido e um coágulo fez com que o membro começasse a morrer, o que obrigou os médicos a amputar o membro 10 dias depois do seu nascimento.

Acontece que a tristeza para Ben virou "combustível" para uma invenção que pode fazer a diferença na vida de muitas crianças que tiveram membros amputados. Ben começou a ler estudos sobre a adaptação de próteses em crianças e percebeu que quanto mais cedo o seu filho tivesse uma, mais fácil seria usá-la de forma totalmente funcional.

Quando saiu do hospital, o bebé já não mexia o coto que os médicos deixaram. "Isso não era suficiente para o meu filho. Fui à cozinha, peguei numa esponja e coloquei-a no braço", contou Ben Ryan ao site sobre engenharia, Born to Engineer.

"Ao fim de dez segundos, ele levantou o braço e começou a bater nos brinquedos e a partir daí começou a usar os dois braços."

Desde então, Ben tem estudado engenharia e tem construído as próteses do filho. "Comecei com material que encontrava em casa: tubos de plástico, cola e chave de fendas. Depois percebi que a forma mais barata de fazer isto seria com uma impressora 3D", explica Ben. Para isso, usou o scanner da sua Xbox para conseguir uma imagem do coto do braço do filho e foi pedir ajuda ao Departamento de Engenharia da Universidade Bangor, no Reino Unido. Sol Ryan, agora com dois anos, está completamente adaptado.

"Ele disse-me: ‘Encaixa na perfeição’. Foi então que percebi que estava bem. Ele quis ir logo para a escola e mostrá-la aos amigos."

Mas isso não bastou e Ben Ryan decidiu ajudar outras crianças de outras partes do mundo, que só recebem próteses quando chegam à adolescência. "Estamos a testar o processo com 25 famílias de todo o mundo."

Vista Post a Post: Anuncio Paginação

Páginas