Notícias / 31 Janeiro 2013

Há uns tempos atrás falamos de Justin Jedlica e de Valeria Lukyanova, ou seja, do Ken e da Barbie de carne e osso. Pois bem, finalmente aconteceu o grande encontro entre estas duas personagens algures nos EUA.

Justin e Valeria, famosos por serem parecidos com os bonecos da Mattel, partilharam as fotografias desse encontro nas redes sociais. Mais conhecida por "Barbie da vida real", Valeria Lukyanova, de 21 anos, conheceu finalmente Justin Jedlica, de 32. O encontro foi proporcionado pela rapariga russa, que viajou até aos Estados Unidos, onde vive o chamado "Ken humano".

"O Justin só gosta de mim", escreveu Valeria na sua página de uma rede social, onde também publicou algumas imagens de ambos.

As semelhanças com os bonecos da Mattel têm gerado, ao longos dos últimos anos, comentários diferentes por parte dos seus protagonistas e enquanto a "Barbie" diz que tudo o que apresenta nasceu com ela, Justin não foge do assunto e admite as vezes que forem necessárias a sua submissão a cerca de cem plásticas para atingir a fisionomia de Ken.

Notícias / 30 Janeiro 2013

Um estudo alemão mostrou que um terço dos utilizadores do Facebook sente-se pior depois de entrar no Facebook e mais insatisfeito com a sua vida, sendo que as pessoas que apenas visitam as páginas de perfil e não publicaram nada eram as mais atingidas. Alguns, chegam mesmo a abandonar a rede social.

"Ficámos surpreendidos pela quantidade de gente que tem uma experiência negativa com o Facebook, com a inveja a deixá-los a sentirem-se sós, frustrados ou zangados", disse a investigadora Hanna Krasnova, do Instituto de Sistemas de Informação da Universidade Humboldt, em Berlim. A outra instituição de ensino envolvida foi a Universidade Técnica de Darmstadt.

Isto chega a ser tão triste que a equipa que desenvolveu o estudo descobriu que fotos de férias são a maior causa de ressentimento, e que existem utilizadores que comparam quantas mensagens de "Parabéns" recebem no aniversário e quantos "gostos" ou comentários recebem nas fotos e publicações.

É o mundo que temos! O status social, reconhecimento e sucesso já não se vê pela carreira, maneira de ser e actividades... mas sim pelo número de "gostos no Facebook".

Estudo conclui que Facebook desperta inveja nas pessoas

Notícias / 29 Janeiro 2013

Quem pensava que ao comer morangos e mirtilos três ou mais vezes por semana estaria a reduzir até um terço o risco de sofrer um ataque cardíaco?

Pois, esta é a conclusão de um novo estudo desenvolvido por investigadores da Harvard School of Public Health em Boston, nos EUA.

Eric Rimm, coordenador do estudo publicado na revista científica Circulation, afirmou que "os mirtilos e os morangos podem facilmente ser incorporados na dieta semanal da mulher" e que "essa simples mudança pode ter um impacto significativo nos esforços de prevenção".

Estes frutos silvestres contêm elevados níveis de flavonoides, substâncias que se encontram em vários alimentos (como o chocolate preto, as uvas ou a beringela, por exemplo) e que, segundo a investigação, ajudam a dilatar os vasos sanguíneos, a evitar a formação de coágulos nas artérias coronárias e a prevenir enfartes.

Os cientistas analisaram cerca de 93.600 mulheres e no decorrer do estudo registaram-se 405 ataques cardíacos, sendo que as mulheres que ingeriam mais morangos e mirtilos mostraram correr 35% menos riscos de sofrer um desses episódios do que aquelas que só consumiam estes frutos uma vez por mês.

"Mostrámos que, mesmo nas mulheres mais jovens, comer mais frutos deste género pode reduzir o risco de ataque cardíaco mais tarde na vida", apontou Aedín Cassidy, co-autor do estudo.

De salientar que os resultados obtidos são independentes de factores de risco como a idade, a hipertensão arterial, a história familiar, o peso, a prática (ou não) de exercício físico, os hábitos tabágicos ou outros elementos como o consumo de álcool.

Estudo revela que morangos e mirtilos previnem ataques cardíacos

Notícias / 28 Janeiro 2013

José Saramago, Eça de Queirós, Fernando Pessoa, Lídia Jorge e Virgílio Ferreira são alguns dos escritores censurados na lista de livros da Opus Dei.

Ao todo, 79 livros de autores portugueses foram proibidos por esta organização!

Ao que parece, esta colectividade da Igreja Católica tem uma listagem de 33573 livros proibidos, com diferentes níveis de gravidade, sendo que nos três níveis mais elevados encontram-se estas 79 obras de escritores portugueses.

Um motivo de orgulho para Portugal que se encontra no pódio graças a José Saramago e Eça de Queirós que são os mais castigados por esta “lista negra”.

Mas, além de livros, também existe uma lista de filmes que estes senhores da Opus Dei não gostam e ao que parece, esta censura já tem várias críticas, colocando-se mesmo em causa a legalidade desta proibição.

A presidente da Fundação José Saramago, Pilar del Río, considera “grosseiro e repugnante” este índice, dizendo que esta "é uma organização a que chamamos seita porque somos educados. Por acaso, eles não são", referindo-se depois a esta organização como "uma formiga”.

E agora!? Aquelas obras de Eça de Queirós que são estudadas nas escolas? Até que ponto é legal, que um professor, membro da Opus Dei, se recuse a leccionar determinado autor porque consta nesta "lista negra"!?

Afinal, o mundo teima em regredir, pois continuam a existir pessoas/organizações que proibem coisas de forma absurda. Haja pachorra!

Notícias / 25 Janeiro 2013

Georg Gänswein, um alemão que tinha os cabelos compridos, ouvia Pink Floyd e que trabalhou como carteiro e instrutor de esqui, foi ordenado padre em 1984 em Friburgo. Hoje, aos 56 anos, decide quem pode e quem não pode falar com o Papa.

Georg é o homem de confiança do papa Bento XVI e seu secretário. Foi recentemente ordenado bispo e nomeado prefeito da Casa Pontifícia, sendo a segunda pessoa mais influente do Vaticano (primeiro está o Papa, claro está).

Mas, este bispo, tem chamado a atenção dos media por outros motivos... a sua beleza.

Georg é capa da revista referência em moda e celebridades, a Vanity Fair, e que tem como título "Ser belo não é pecado". A edição italiana da publicação chegou às bancas e traz uma reportagem que aborda a vida do "George Clooney do Vaticano".

Além de ter um papel importante na Santa Sé, Georg recebe muitas cartas de amor e tendo em conta os comentários sobre sua aparência, revelou à revista: "Eu fingia não ouvir, mas com o tempo fui-me habituando".

Resta saber se com tanta mulher a andar à volta do Bispo e de sua santidade, "a carne não é fraca". smiley

Notícias / 24 Janeiro 2013

Um camião seguia para Guangdong, na China, quando sofreu um acidente na cidade de Changsha e teve que ficar encostado na beira da estrada durante 24 horas.

Foi este acidente, a salvação de mais de mil gatos que se encontravam presos em jaulas e que iam ser vendidos a restaurantes para serem servidos como comida. O resgate aconteceu após o acidente por parte de 50 activistas chineses.

Os gatos, encontravam-se presos em estreitas jaulas de madeira sem se conseguirem mexer, sem comida nem água. Este grupo de activistas, soube do acidente e da mercadoria que o camião transportava e conseguiram resgatar alguns dos animais (muitos morreram), que depois foram enviados para clínicas veterinárias de Changsha. Em 2009, também na China, um outro grupo de activistas salvou mais de 300 gatos que tinham o mesmo destino.

Todos sabemos que a utilização de gatos para fins culinários é uma prática comum naquele país, mas mesmo assim isto dá que pensar.

Em 2009, Ma Yong, oficial da polícia, afirmou ao jornal "The Telegraph" que “não há nenhuma lei na China que diga que os gatos não podem ser comidos”, salientando que os felinos não são animais protegidos. Só para terem uma ideia, a maior parte dos gatos são criados por pequenos agricultores que vêem neste negócio uma maneira de ganhar algum dinheiro extra, pois depois do intermediário, os gatos são vendidos aos restaurantes por cerca de 1,2 euros. De acordo com dados divulgados pela imprensa internacional, todos os anos, na China, são abatidos mais de 4 milhões de gatos para serem usados na cozinha.

Notícias / 16 Janeiro 2013

Sabine Moreau é uma senhora de 67 anos que no dia 5 de Janeiro resolveu sair do vilarejo de Solre-sur-Sambre (Bélgica) para encontrar uma amiga na capital da Bélgica e colocou o endereço no aparelho de navegação por satélite. Sabine tinha de percorrer 150 quilómetros, de casa até Bruxelas, mas por causa de uma avaria no sistema de GPS acabou a viagem em Zagreb, dois dias e cerca de 1500 quilómetros depois.

A senhora, já era dada como desaparecida e já se encontrava a ser procurada pela polícia.

As palavras de Sabine ao jornal belga Het Niewsblad, relativamente ao sucessido, parecem vindas da Twillight Zone:

"Eu vi todo tipo de tráfego passar. Primeiro em francês, depois em alemão. Colônia, Aachen, Frankfurt... mas eu não fazia nenhuma pergunta e apenas acelerava".

Idosa queria ir a para Bruxelas, mas acabou na Croácia por causa do GPS

Na longa viagem, Sabine Moreau reabasteceu o carro duas vezes, e até se envolveu num pequeno acidente, chegando mesmo a dormitar algumas horas no carro, na berma da estrada. Mas, ela garante que não percebeu o que estava acontecendo até que chegou a Zagreb.

A polícia chegou a vasculhar a casa da sexagenária atrás de pistas sobre seu desaparecimento e estavam prestes a ampliar a investigação quando ela ligou e disse onde estava.

"Estranho? Talvez, mas eu só estava distraída e preocupada", disse Sabine.

Depois da primeira aventura, segundo o jornal belga La Nouvelle Gazette, ela dirigiu de volta à Bélgica ainda usando o GPS para se orientar.

Não se preocupe, pois desta vez o GPS funcionou e as pastilhas da senhora estavam "em dia".