Jovem com cancro terminal partilha as últimas fotos de sofrimento
08/02/2018

Amy Redhead, de 28 anos, foi informada de que sofria de uma doença terminal e que tinha apenas 6 meses de vida mas, na última semana, a saúde piorou e agora tem apenas alguns dias de vida. A jovem decidiu partilhar nas redes sociais as suas últimas fotos no hospital. O objetivo é divulgar a sua história e acima de tudo, mostrar a realidade de uma pessoa vítima de cancro.

Antes do diagnóstico súbito de cancro no intestino, em outubro do ano passado, Amy lutou contra uma dor abdominal severa. Neste momento, a doença já se espalhou por 70% do fígado. A jovem enfrenta uma grande luta e considera-se uma pessoa corajosa, afirmando que está pronta para morrer e que já não sente sofrimento.

A família e a irmã mais nova, Emily, de 22 anos estão a apoiá-la e a partilhar a história para ajudar a aumentar a consciência sobre o cancro intestinal.

Emily contou que a irmã "perdeu muito peso, mas quando sentiu um nódulo no estômago foi encaminhada para os exames médicos". O hospital ofereceu o tratamento de quimioterapia para o possível prolongamento da vida e a jovem recusou, decidindo aproveitar os últimos meses sem agonia e mal-estar, escolhendo uma "dieta alcalina/vegan" com muitas frutas e vegetais orgânicos.

Amy tenta ver sempre o lado positivo das situações e já planeou o seu próprio funeral, criando uma caixa de memória para aliviar a dor da sua família, com alguns dos seus cabelos e anéis. Recentemente a jovem comemorou o seu aniversário e agradeceu à família por ter passado o Natal, Ano Novo e 76º aniversário do pai, Robert, juntos.

O objetivo de Amy foi sempre morrer em casa, mas na passada segunda-feira decidiu ser internada no Primrose Hospice para que pudesse receber os cuidados imprescindíveis. Amy foi transferida para o hospital e deu a notícia dolorosa de que a sua condição "se deteriorou dramaticamente nas últimas 48 horas". A jovem, como já não se encontrava em condições de continuar com as partilhas, pediu à família para continuar com o projeto. "Ela não está bem o suficiente para fazer isso por si mesma, ou seja, nós estamos a ajuda-lá", afirmou a irmã.

Quando teve consciência da situação, Amy lançou uma campanha de angariação de fundos para ajudar a família a pagar o seu funeral.