Miúdo de 11 anos tem doença genética que o deixa sempre a sorrir
03/04/2013

A felicidade raramente é associada a doença.

No caso de James Edgar, um menino de 11 anos, a síndrome de Angelman é encarada como uma alegria: apesar de não conseguir falar e da doença, que é rara, provocar alterações no comportamento e atraso mental, a criança tem sempre um sorriso estampado na cara.

Rachel Martin, mãe de James, disse ao jornal The Sun que "James é uma criança adorável. Ele trouxe alegria para a nossa família”.

Apesar da felicidade constante que imprime, a síndrome de Angelman obriga a família a realizar cuidados constantes. Mesmo sem conseguir parar de sorrir, Edgar consegue sentir outras emoções: o problema está em expressá-las.

Para facilitar a comunicação, os médicos recomendaram o uso de um iPad.

“É uma maneira dele se distrair”, complementa a mãe.

É provável que gostes